TIPO exposição

Constituída por dois núcleos: Arquipélago — Centro de Artes Contemporâneas, na Ribeira Grande e Centro Regional de Apoio ao Artesanato — CRAA, em Ponta Delgada.

NÚCLEO CRAA

10—20 Outubro 2019

Introduzida nas ilhas em 1829, a tipografia — apesar de todos os avanços tecnológicos — chega até aos nossos dias bem viva, seja nas antigas oficinas tipográficas que ainda a utilizam, seja numa abordagem actual, reinventada sob uma perspectiva contemporânea, por designers e artistas gráficos que se sentiram atraídos pelas características expressivas únicas da antiga técnica gutenberguiana. 

Neste núcleo, apresentou-se uma panorâmica da tipografia feita nas ilhas até aos nossos dias. De títulos da imprensa açoreana a variadas peças gráficas, de onde se destacavam os rótulos, uma tradição local por excelência, da Fábrica de Chá Gorreana à Fábrica de Tabaco da Maia, entre outros, apresentando-se também algumas zincogravuras originais. Além deste material histórico que por cá se imprimiu, estiveram expostos utensílios e equipamento tipográfico de várias oficinas de São Miguel, incluindo uma pequena máquina de impressão Minerva, que pôde ser utilizada pelo público.  Junto com as antigas impressões, encontravam-se algumas abordagens contemporâneas às mesmas peças por vezes utilizando o material tipográfico usado nas primeiras há dezenas de anos. Realçava-se, assim, a diversidade de abordagens que nos permite a tipografia de caracteres móveis e a sua capacidade para se adaptar a diferentes épocas e correntes estéticas.  

Este núcleo pretendeu ser, ao mesmo tempo, uma homenagem a todos os tipógrafos que trabalharam e continuam a trabalhar nas ilhas dos Açores, procurando também sensibilizar e contribuir para a divulgação e preservação de equipamentos, materiais e do saber destes Mestres tipógrafos, património material e imaterial açoreano.

NÚCLEO ARQUIPÉLAGO

10—20 Outubro 2019

«A Oficina Tipográfica São Paulo atua preservando a cultura do letterpress em sua forma original. O caráter artesanal é privilegiado, ainda que o sistema tipográfico responda como um processo industrial. Por outro lado, os procedimentos de criação e projeto gráfico são explorados de maneira livre, indo da pesquisa histórica à experimentação pura com a linguagem visual, aproximando as artes gráficas das artes plásticas. As monotipias tipográficas que fizeram parte da mostra se inserem nesse contexto, com equipamentos e ferramentas gráficas colocados a serviço da criação: prelo, tipos de madeira e metal, espátula, rolinho para entintamento manual, solvente, clichês. Sobreposições, velaturas, decalques, colagem, pressão nos cilindros, tudo é usado como forma de expressão, em um estado de imersão intenso que conecta a energia criativa com a técnica gráfica e conduz a resultados inesperados.»

Claudio Rocha

Atelier Artes e Letras

Dinis Botelho
Tipografia Micaelense

Edições 50kg

Espaço Memória

Tipografia Popular do Seixal

Filipa Matta

Gregory Le Lay

InPressed

Joana Monteiro

Joãoo Sebastian

Jorge dos Reis

Júlia Garcia

Miguel Melo

Miss Print

O Homem do Saco

Pedro Amado

Quadratim Letterpress

Robin Fior

Tipografia Dias

Serrote Ticoolgrafia

Vivóeusébio

Claudio Rocha
Oficina Tipografica São Paulo

Atelier Artes e Letras

Alan Kitching

Anonima Impressori

Archivio Tipografico

Claudio Madella

Dafi Kühne

David Wolske

Hatch Show Print

Rafael Neder e Flavio Vignoli

Roberto Gamonal Arroyo
Familia Plómez

Romano Hänni

Russell Maret

The Print Project